Tecelagem Fio Brasil – A arte em tear

A tecelagem é milenar e acompanha o ser humano desde os primórdios da civilização. São fibras de algodão, de lã, de linho, fiadas e tingidas por processos manuais, que nos teares, através das mãos do artista, se unem em cores e formas. A tecelagem utilitária evoluiu na tecnologia, e a de expressão procurou os caminhos naturais. Aí as tramas e as urdiduras se entrelaçam para dar forma ao pensamento e à intuição. Saber tecer e tingir fios de fibras naturais são conhecimentos que se mantém a séculos e acompanham a humanidade desde sua origem. Por necessidade, a tecelagem firmou-se no Brasil Colônia, onde produzir tecidos para escravos e gente simples justificava o empreendimento. Houve tempo em que toda casa mineira havia uma roda de fiar e um tear tosco de madeira. Fazia-se o fio e do tear saiam colchas e roupas para a família. Em Muzambinho, a tecelagem Fio Brasil, teve início em 02 de março de 2006. São nove anos de criatividade e bom gosto. Com uma grande variedade de modelos e cores.

005019024

Suas criações, em fios crus ou tingidos, são variadas para todos os tipos de ambientes.                                                  São tapetes, toalhas, almofadas, cortinas, colchas, guardanapos, etc  …

011010

A Fio Brasil já participou de grandes feiras como, FENEARTE em Recife, Mega Artesanal, Craft, Paralela Guift, Feira Nacional BH. Já fez exportações de cachecóis para a Holanda.

Obteve várias premiações pelo Sebrae TOP 100 (prêmio nacional, 100 melhores do Brasil), e a Fio Brasil está dentre as 6 melhores de Minas. Ganhou o prêmio TOP 100 por duas vezes. Também foi premiada pelo Catálogo de Minas.

Seus clientes são:  Tok Stok, Westwing, Lelis Blanc, Peroba Rosa, Megandra, Ooh de Casa, Arte Nossa, Puro Amor.

026027

Há pouco tempo, a tecelagem confeccionou tecidos, para roupas de escravos de um filme nacional, que ainda é segredo … Aguardemos.

 

Cleusa Ely

O portal muzambinhense de recordações ilustrativas, nos remetendo ao saudosismo e sentimentalismo. Sou apaixonada por fotografias antigas e essa particularidade me fez criar a página Sou mais Muzambinho. Desde fevereiro de 2012, faço do meu hobby, uma realização pessoal. Essa página não seria tão ilustrativa sem a ajuda de meus colaboradores. Chego à ser cansativa nos pedidos às pessoas que possuem um acervo interessante, mas é na insistência que consigo fotos fabulosas e de valor inestimável. As fotos atuais são feitas por mim, para um comparativo de lugares e ângulos iguais às fotos antigas. Tenho orgulho de minha cidade e quero que suas belezas naturais sejam compartilhadas com todos nossos conterrâneos. Obrigada à todos por fazerem da minha realização a sua contemplação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *